Feito para você – Como conciliar comunicação, interatividade e disciplina

Recentemente na nossa página no Facebook ( https://www.facebook.com/MadeForTeachers ) pedimos sugestões de temas para escrever um artigo de forma coletiva.
Deste pedido saiu o artigo Feito para Você.
Como já dissemos anteriormente, temos o intuito de ajudar, formar e facilitar a prática dentro de sala de aula. Contudo ressaltamos que não há receita de bolo. Cada turma, cada escola e cada contexto tem suas peculiaridades. É importante analisar e levar em consideração todos esses fatores para planejar aulas mais significativas para ambas as partes – alunos e professores.

1. Desde os primórdios…

O ideal é que logo no inicio do ano letivo  e no inicio do segundo semestre, você estipule combinados com seus alunos. Eles devem saber como agir e o que se espera deles em termos de postura durante as aulas de inglês. Haverá um sinal entre vocês para indicar que a brincadeira, atividade ou conversa acabou? Qual será? Escolha, avise-os e mantenha essa postura sempre. Nossos alunos estão em processo de formação. Se nós temos dificuldades em mudar certos hábitos, imagine eles. Mas eles conseguem. E leva tempo. Os resultados não serão colhidos de uma hora para outra. As vezes, nem de um ano para outro. Mas faça sua parte,  No matter what…

2. Pay attention nunca mais.

Esse foi o título de um artigo que escrevemos com ideias de attention getters. Ao invés de ficarmos o tempo todo falando Pay Attention, podemos usar outras estratégias para fazer com que nossos alunos parem de falar e prestem a atenção em nós. Mais uma vez, explique e combine com eles o que deve ser feito. Dê uma conferida no artigo: http://madeforteachers.com.br/2014/08/pay-attention-nunca-mais/.

3. O que é normal? O que é demais?

Vale chamar a atenção para o que deve ser comportamento normal durante brincadeiras e atividades. Quando nos referimos a”comportamento normal”, queremos na verdade dizer comportamento esperado. Espera-se que alguns grupos:

– aumentem o volume de voz. É perfeitamente normal na hora da empolgação esquecerem que estão em um espaço de uso coletivo. Você pode fazer um termômetro de volume para eles. Sempre que estiverem ultrapassando o volume aceitável de empolgação, sinalize por meio deste termômetro que pode ser desenhado na lousa ou que pode ser feito de EVA. Para algumas turmas é necessário chamar a atenção do porquê temos que manter nosso volume de voz em um tom mais agradável. Porque para eles pode parecer só mais uma imposição da professora. Explique que outras salas estão se concentrando, há outras pessoas trabalhando e relembre da importância de ouvir o outro também. Como será que se sentem quando não conseguem ser ouvidos?

– se desentendam. Não é o que queremos, mas acontece. É importante ouvir os envolvidos e ensiná-los a ouvir uns aos outros. Um justifica e depois o outro. Deixa que exponha seus sentimentos. Mostre causa e efeito. Não tome partido. Mostre fatos e as consequências das ações.

– não queiram fazer atividades no livro. Quando uma atividade é muito legal, os alunos reclamam porque ela acabou e porque tem que usar o livro de novo. Duas coisas devem ser levadas em consideração: 1- Se o livro for visto como algo punitivo, os alunos fatalmente terão aversão a ele. Nunca o use como punição por algum comportamento (se não se comportarem não brincarão mais e usarão o livro). Tem sim como fazer do uso do livro algo bem legal. 2 – Isso pode indicar para você o quanto sua atividade foi um sucesso. Não se sinta frustrada.

– conversem paralelamente. Em algum momento os alunos vão conversar entre eles. As vezes farão até comentários relacionados a atividade que estão fazendo no momento. Observe. Se for rápido e pontual, releve. Se atrapalhar o aluno, você e os outros alunos, interfira. Seja pontual e objetiva. Mostre para o aluno que ele atrapalha a si mesmo e aos outros quando não respeita a vez do outro falar. Não seja rude. Justifique, pontue e siga em frente.  Sempre que precisar chamar a atenção de algum aluno, seja o mais justo possível e sempre justifique. Assim ele consegue entender que não é um problema com ele, mas um problema com a POSTURA DELE NAQUELE MOMENTO. Depois de alguns minutos e o problema resolvido, seja afetuosa para sinalizar que já está tudo bem.

4. Turmas Grandes? Falta de material? Don´t freak out!

Algumas outras ideias foram compartilhadas neste outro artigo voltado para professores que possuem turmas grandes. http://madeforteachers.com.br/2014/09/turmas-grandes-falta-material-dont-freak-out/

5. Planejando Atividades de Speaking:

Também já fizemos um post com poucas, mas algumas sugestões de como trabalhar speaking http://madeforteachers.com.br/2013/09/planejando-atividades-de-speaking-de-forma-significativa/. Entendemos que o pedido de ideais para este arquivo não era nem de como trabalhar speaking isoladamente, mas de como organizar melhor essas atividades com problemas de disciplina.

6. Uma reflexão

O que deve ser pensado e analisado também é o perfil da sua escola. Quantas vezes e em quais períodos os alunos tem a oportunidade de extravasar? Quantas vezes tem a oportunidade de falarem e de serem ouvidos? Há espaço para discussões entre eles e os professores? Há espaço para brincadeiras?

Se você for o único professor da sua escola que proporciona esses momentos para eles, certamente terá dificuldade em conduzir as aulas mais dinâmicas e comunicativas. E o que fazer? Mostrar para os alunos o quanto isso é bom e pode ser proveitoso para eles. E novamente, dizer o que se espera deles. Reforçamos isso porque quanto mais você for objetiva nas suas explicações, mais resultados terá. Você quer que eles brinquem ou se entrevistem, mas esquece de dizer quais combinados em termos de postura você espera que cumpram. Não tem aula que seja produtiva. Exemplo: Você pediu para que eles se entrevistassem. (Do you like vegetables?). Explicou quantos amigos deveriam entrevistar? Onde anotar e se devem anotar os resultados? O que farão com essa informação depois? A forma como devem andar pela sala? O volume de voz que você espera? Quando vão saber que a atividade acabou? O que fazer quando você disser ou sinalizar que a atividade acabou? Lembre-se: em uma sala de aula, o perigo mora na falta dos detalhes.

7. Keep Calm!

Toda vez que tenho que dar este conselho para alguém, uso as palavras de Jeremy Harmer do seu livro “The Practice of English Language Teaching” : “Despite the fact that students sometimes appear to be attacking our personality and threatening everything we hold dear, we need to remember: it´s just a job! Somehow we need to stand back from what is happening and rather than taking it personally, we need to act calmly and carefully”.

class-302116_640

 

 

 

2 thoughts on “Feito para você – Como conciliar comunicação, interatividade e disciplina

    • Depois conta como foi…será que ainda dá tempo de colocar algo em prática agora no final do ano?
      Esqueci de dar mais uma dica. No começo da aula, sempre diga o que pretende fazer naquele dia. Diga o objetivo. Ao final, veja com eles se esse objetivo foi alcançado e se não foi porquê não. Peça para que deem sugestões e alternativas para que possam conseguir na próxima aula. Sucesso.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>